Más ojos.

Teus olhos, contas escuras,
São duas ave-marias
No rosário d’amarguras
Que rezo todos os días.

Quando a dor me amargurar.
Quando sentir penas duras,
Só me podem consolar
Teus olhos, contas escuras.

D’eles só brotam amores,
Não há sombra d’ironias,
Teus olhos sedutores
São duas ave-marias.

Se acaso a vida os vem turvar,
Fazem-me sofrer torturas
E as contas todas rezar
Do rosário d’amarguras.

Ou se os alaga a aflição
Peço pra ti alegrías
Numa fervente oração
Que rezo todos os días!

Fernando Pessoa.

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Este sitio usa Akismet para reducir el spam. Aprende cómo se procesan los datos de tus comentarios.